ADVOGADO SUPOSTAMENTE DE MARINGÁ MATA A FACADAS NAMORADA EM APARTAMENTO EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ SC

Um advogado a princípio natural da cidade de Jacarezinho, PR, chamado Paulo de Carvalho Souza de 42 anos matou Lucimara Stasiak de 29 anos a facadas há cerca de 6 dias, e mantinha o corpo dentro do apartamento com gelo supostamente para disfarçar o cheiro, no edifício Ilha de Paquetá, rua 3150 no centro de Balneário Camboriú.

Os vizinhos teriam suspeitado de Paulo pois ouviram uma briga entre o casal na última quinta-feira, e após isso Lucimara não foi mais vista, além disso os vizinhos notaram a entrada de Paulo com sacos plásticos e gelo, e acionaram a polícia.
O negociador do BOPE conseguiu entrar no apartamento e confirmou a morte de Lucimara, porém, Paulo está trancado na sacada, e pede para que ninguém se aproxime, caso contrário irá se jogar do sétimo andar.

O corpo de Lucimara permanece no apartamento pelo menos até o fim da ocorrência, para a perícia poder fazer o procedimento padrão. Paulo disse aos policias que teve surto psicótico e achou que esfaqueava aranhas e não Lucimara.

De acordo com a PM, um amigo de Paulo afirmou que o advogado tem um histórico de crises, já foi internado e atualmente toma remédios controlados.
A negociação já dura 20 horas e neste momento Paulo está sentado no parapeito da sacada do apartamento e ameaça se matar, policiais do BOPE estão no local negociando com Paulo para que ele se entregue.

Segundo informações Paulo descarta completamente a possibilidade de se entregar, e a todo momento fala que vai se jogar da sacada do apartamento. A região está isolada para evitar interferências de populares.

Advogada completou 30 anos um dia antes de morrer

Prima de Lucimara, Janaina Rautenberg diz que a advogada completou 30 anos na última quarta-feira (27). As informações preliminares são de que ela teria morrido um dia depois, supostamente durante uma discussão entre o casal.
Lucimara nasceu em Curitiba (PR), mas foi criada pela avó e as tias em Blumenau. Formou-se em Direito na Furb e tinha o sonho de ser juíza. Ela trabalhou em um escritório de advogacia na cidade. Mudou-se, tempos depois, para Florianópolis, onde também atuou como advogada em um escritório.
A família soube do relacionamento entre ela e Paulo em meados do ano passado, quando a advogada se mudou para Balneário Camboriú para viver com ele.

A OAB acompanha de perto a situação. O presidente da OAB/SC, Rafael Horn, esteve no local onde a polícia negocia a rendição e conversou com as autoridades policiais que conduzem o caso. Em nota, afirmou ter ficado consternado. “Não aceitamos qualquer tipo de violência. Estamos falando da vida de uma pessoa, o bem mais precioso que temos, suprimida em circunstâncias dramáticas. A OAB catarinense atua pela igualdade de gênero, pelo protagonismo feminino em todas as camadas da sociedade e reiteradamente tem se posicionado pelo fim da violência contra a mulher, inclusive realizando ações junto à sociedade por intermédio das nossas comissões temáticas”.
Novas informações a qualquer momento.

Via: BCN Notícias e NSC total

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *