Através de indicação e requerimentos, vereadores de Cianorte questionam aumento da Sanepar

Na sessão ordinária desta segunda-feira (22), o assunto mais debatido e discutido entre os vereadores foi o reajuste de 12,13% nas contas de água e esgoto da Sanepar, homologado na segunda-feira (15), pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e que poderá ser aplicado a partir de 17 de maio.

Os vereadores Adailson Carlos Ignácio da Costa (Dadá) (PROS), José Aparecido da Silva (Zezão) (DEM), Marcia Pereira (PSD), Santina Buzo (MDB), Silvio Fernandes (Silvio do Pátio) (MDB) e Sergio Mendes de Almeida (Mendes) (PSB) encaminharam dois requerimentos (221 e 222), solicitando, respectivamente,  ao governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, através da Agepar, e ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) – a adoção de medidas, inclusive, o cancelamento do reajuste de 12,13% nas contas de água e esgoto da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Já na indicação 255, eles sugerem ao Prefeito de Cianorte, Claudemir Bongiorno, providências com relação ao reajuste da Sanepar.

Na oportunidade, o vereador João Alexandre Teixeira (PHS) – através do requerimento 232 – também solicita à Agepar, que informe os critérios utilizados para aplicação de reajuste de tarifas de esgoto da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Cianorte, Silvio Fernandes (Silvio do Pátio), o aumento é abusivo e está acima da inflação apurada no período pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “O reajuste de 12,13% nas tarifas de água e esgoto pela Sanepar – autorizado pela Agepar – está acima da inflação oficial do período (maio de 2018 a abril de 2019), divulgada pelo IBGE, através do índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que foi de 4,3%. Algumas classes trabalhadoras do Paraná e Cianorte, não tiveram reajustes em seus salários e, quando tem, os percentuais não vão muito além dos índices inflacionários. Dessa forma, os vereadores – através dos requerimentos e indicações – querem a sensibilidade dos órgãos públicos, a fim de que revoguem o reajuste proposto”, pontua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *