Autor confesso de latrocínio relata ter queimado corpo de Tony Clayton

Durante depoimento, o autor confesso da morte brutal de Tony Clayton, 35, Carlos Eduardo Plau de Souza, 24, mencionou alguns detalhes considerados contraditórios.

O assassinato ocorreu na noite de 29 de dezembro, em Maringá. Embora afirme que tenha deixado a vítima inconsciente com um ‘mata-leão’, existem indícios de uma possível perfuração de faca no peito e de enforcamento com o emprego de um fio ou algo semelhante.

Souza diz ter matado Clayton após desentendimento por conta do valor de um programa sexual. O corpo foi levado até a estrada Progresso, em Terra Boa, e em seguida queimado.

Detido em Araruna na tarde desta sexta (4), ele acompanhou os policiais até o local onde estaria o corpo, que já havia sido recolhido pelo IML de Campo Mourão. Um exame de DNA deve ser requerido para confirmar a identificação.

Após o crime, Souza tentou vender o veículo da vítima, um Fiat Stilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top