Autor de homicídio de policial militar em Altônia é preso em área rural do Paraguai | Giro de Notícia

Autor de homicídio de policial militar em Altônia é preso em área rural do Paraguai

banner principal

Após cinco anos de trabalho de inteligência para localizar o autor do homicídio do soldado Thiago da Silva Rego, da Polícia Militar do Paraná, uma operação integrada que envolveu policiais e agentes de inteligência do Brasil e do Paraguai, desencadeada nesta sexta-feira (14), culminou no cumprimento do mandado de prisão do autor do crime em uma área rural ao norte de La Paloma Del Spiritu Santo, no departamento de Canindeyu, no Paraguai.

Na casa onde ele estava havia duas armas de fogo. O homem foi extraditado ao Brasil para responder à justiça brasileira.

A operação foi desencadeada pelo Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFRON) em conjunto com a Polícia Federal, a Polícia Nacional do Paraguai (PNPY) e o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) do Mato Grosso do Sul, com apoio intenso do Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF/MJSP) e do Comando Tripartite (CTFI/PF).

Desde a morte do soldado, em setembro de 2017, na cidade de Altônia, o BPFRON fez diversas ações para chegar até o autor dos disparos. O Serviço Reservado fez buscas, coletou informações sobre o paradeiro do criminoso e contou com apoio de vários órgãos de segurança pública federais e estaduais.

O Ministério Público de Altônia expediu um mandado de prisão internacional “difusão vermelha” e as equipes policiais continuaram o trabalho de buscas até descobrirem que ele estava escondido numa região rural no Paraguai.

“A PM não poderia deixar esse caso sem resposta, foi uma questão de honra e respeito com todos os nossos policiais militares que diariamente estão expostos à criminalidade para proteger nossa população”, destacou o comandante do BPFRON, tenente-coronel André Dorecki.

“A Polícia Nacional do Paraguai foi contatada e foi realizada a operação na propriedade-alvo, sendo logrado êxito em encontrar o homem”, destacou. “O foragido já respondia por outros crimes, inclusive homicídios, pois fazia parte de uma quadrilha que atuava na região”.

De acordo com Dorecki, o CIOF teve papel relevante na ação, tendo em vista que fez os contatos necessários e ajustes para o cumprimento do mandado. O homem estava a seis quilômetros de Mato Grosso do Sul (MG) e a 30 de Guaíra quando foi capturado.

CASO – O soldado Thiago sofreu o ataque no dia 26 de setembro de 2017. Ele e os colegas estavam em patrulhamento quando foram emboscados por homens em uma Fiat Strada. O militar estadual sofreu um disparo na cabeça e morreu no local. No mesmo dia, o carro dos criminosos foi encontrado incendiado com outros dois corpos.

Fonte: Polícia Militar do Paraná

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS