Avião com Bolsonaro mostra que aeroporto de Umuarama está pronto para aeronaves maiores | Giro de Notícia

Avião com Bolsonaro mostra que aeroporto de Umuarama está pronto para aeronaves maiores

banner principal

A operação de duas aeronaves ERJ-145 da Força Aérea Brasileira (FAB) na última sexta-feira (3) em Umuarama mostra que o Aeroporto Regional Orlando de Carvalho está pronto para ser utilizado por aviões de médio porte, com plenas condições de segurança.

O ERJ-145 tem 29,5 centímetros de comprimento por 26 metros de largura (incluindo asas). A capacidade é para até 50 passageiros. Uma das aeronaves que aterrissou e decolou do aeroporto local foi ocupada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), ministros e assessores diretos na visita à cidade.

A outra, que chegou antes do chefe do Executivo, foi utilizada pela equipe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional). Os pilotos relataram normalidade na utilização da pista e dos instrumentos disponíveis.

O plano de voo presidencial pode significar que o Orlando de Carvalho está muito próximo de ser aprovado pela Anac (Agência Nacional de Avião Comercial). De acordo com a Prefeitura, o processo de certificação está 96% concluído e a totalidade só depende de uma nova vistoria dos técnicos da agência, para a checagem das alterações exigidas.

A vistoria deve acontecer a qualquer momento, ainda esta semana, e a expectativa é muito grande. A Azul Linhas Aéreas, que já utiliza o aeroporto para conectar Umuarama a Curitiba em três voos semanais com o Cessna Gran Caravan, aguarda a certificação para iniciar os voos comerciais com o ATR.

Enquanto o Cessna transporta apenas 9 passageiros, o ATR oferece 72 poltronas, o que deve reduzir o valor das passagens ou no mínimo incluir a linha nas campanhas de promoções. A ideia também é criar novos horários de voos, uma vez que os atuais não permitem conexão, no mesmo dia, com São Paulo, destino mais procurados pelos passageiros da região, depois de Curitiba.

Além da regularização completa junto a Anac, a Azul também exige a instalação de aparelhos chamados Papi, que são um sistema de iluminação instalado nas duas cabeceiras da pista. O recurso para a compra, na ordem de R$ 1,3 milhão, está garantido, mas a compra dos equipamentos depende de licitação, um processo que costuma ser moroso, principalmente se houver recursos entre as empresas participantes. O dinheiro será repassado à Prefeitura pela SAC (Secretaria de Aviação Civil).

Se a Azul realmente mantiver a exigência, o início da operação do ATR em Umuarama pode demorar de dois a três meses, ou mais. Existe uma grande expectativa de anunciar o início da operação do com o turbo-hélice até o aniversário do município, comemorado em 26 de junho.

OBemdito apurou que em outros aeroportos, como o de Guarapuava, a Azul opera sem o Papi.

Fonte: OBemdito

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS