Coronavírus: Justiça autoriza que ex-gerente da Petrobras condenado na Lava Jato cumpra prisão domiciliar

Artboard 1MENOR DESTAQUEArtboard 1MENOR DESTAQUEArtboard 1MAIOR DESTAQUEA Justiça Federal autorizou que o ex-gerente Internacional da Petrobras Roberto Gonçalves, condenado na Operação Lava Jato cumpra prisão domiciliar. A determinação ocorreu por causa do novo coronavírus.Roberto Gonçalves tem 65 anos. Então, por ser idoso, faz parte do grupo de risco do coronavírus.”Por se tratar o requerente de pessoa mais vulnerável ao risco de contaminação, substituo, por ora, a prisão preventiva de Roberto Gonçalves por prisão domiciliar, sob monitoração eletrônica”, diz um trecho da decisão da juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba.Preso no Complexo Médico-Legal, em Pinhais, na Região Metropiltana de Curitiba, Roberto Gonçalves deve seguir para casa em Niterói (RJ).A decisão da juíza Gabriela Hardt é de segunda-feira (23).CondenaçãoRoberto Gonçalves foi condenado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa.Em 2017, houve a condenação em primeira instância, com pena de 15 anos e dois meses de prisão. No ano seguinte, teve a pena aumentada para 17 anos, nove meses e 23 dias pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Justiça manda prender novamente Roberto Gonçalves, ex-gerente da Petrobras condenado na Lava Jato Prisão domiciliar e tornozeleira eletrônica”Deverá o acusado informar a previsão de chegada em sua residência, ficando,desde logo, autorizado o deslocamento necessário, com adequação do horário no sistema de monitoramento eletrônico”, determinou a juíza.De acordo com a decisão, Roberto Gonçalves deverá arcar com os custos da tornozeleira eletrônica, que é de R$ 154,14 por mês.A juíza concedeu o prazo de dez dias para que a defesa junte aos autos do processo a lista de pessoas indicadas para visita. Essa lista deve passar pelo consentimento do Ministério Público Federal (MPF) e pela autorização da Justiça.Roberto Gonçalves deve sair da prisão na tarde desta terça-feira (24), conforme a defesa dele.Ele deve ficar recolhido em prisão domiciliar em período integral nos dias úteis, fins de semana e feriados, segundo o despacho.O que diz a defesaPara o advogado James Walker Júnior, que defende Roberto Gonçalves, a decisão foi justa e está conectada com os esforços das autoridades públicas para evitar o aumento do contágio do coronavírus.Casos de coronavírus no ParanáO Paraná, conforme último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na segunda-feira, tem 60 casos confirmados do novo coronavírus – 34 são em Curitiba.Há ainda 1.519 casos suspeitos do novo coronavírus em todo o estado.Entenda o CasoCORONAVÍRUS×Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

A Justiça Federal autorizou que o ex-gerente Internacional da Petrobras Roberto Gonçalves, condenado na Operação Lava Jato cumpra prisão domiciliar. A determinação ocorreu por causa do novo coronavírus.

Roberto Gonçalves tem 65 anos. Então, por ser idoso, faz parte do grupo de risco do coronavírus.

    Caso Daniel: Defesa pede prisão domiciliar para Edison Brittes por conta do coronavírus

Preso no Complexo Médico-Legal, em Pinhais, na Região Metropiltana de Curitiba, Roberto Gonçalves deve seguir para casa em Niterói (RJ).

A decisão da juíza Gabriela Hardt é de segunda-feira (23).

    Serviços afetados pelo coronavírus no Paraná

Condenação

Roberto Gonçalves foi condenado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa.

Em 2017, houve a condenação em primeira instância, com pena de 15 anos e dois meses de prisão. No ano seguinte, teve a pena aumentada para 17 anos, nove meses e 23 dias pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

    Justiça manda prender novamente Roberto Gonçalves, ex-gerente da Petrobras condenado na Lava Jato

Prisão domiciliar e tornozeleira eletrônica

De acordo com a decisão, Roberto Gonçalves deverá arcar com os custos da tornozeleira eletrônica, que é de R$ 154,14 por mês.

A juíza concedeu o prazo de dez dias para que a defesa junte aos autos do processo a lista de pessoas indicadas para visita. Essa lista deve passar pelo consentimento do Ministério Público Federal (MPF) e pela autorização da Justiça.

Roberto Gonçalves deve sair da prisão na tarde desta terça-feira (24), conforme a defesa dele.

Ele deve ficar recolhido em prisão domiciliar em período integral nos dias úteis, fins de semana e feriados, segundo o despacho.

O que diz a defesa

Para o advogado James Walker Júnior, que defende Roberto Gonçalves, a decisão foi justa e está conectada com os esforços das autoridades públicas para evitar o aumento do contágio do coronavírus.

Casos de coronavírus no Paraná

O Paraná, conforme último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na segunda-feira, tem 60 casos confirmados do novo coronavírus – 34 são em Curitiba.

Há ainda 1.519 casos suspeitos do novo coronavírus em todo o estado.

    Últimas notícias sobre coronavírus

    VÍDEOS: Coronavírus: perguntas e respostas

    GUIA ILUSTRADO: sintomas, transmissão e letalidade

    Veja o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus

    Quanto tempo o novo coronavírus vive em uma superfície ou no ar?

    Máscaras servem para proteção contra o novo coronavírus?

    Como se prevenir do coronavírus?

Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Ex-gerente Internacional da Petrobras condenado na Lava Jato, Roberto Gonçalves tem prisão domiciliar concedida em razão do novo Coronavírus.

No final do dia de ontem a 13ª Vara Federal de Curitiba concedeu, a pedido da defesa, alvará de soltura a Roberto Gonçalves, que vai direto para sua residência no Rio de Janeiro.

Segundo seu advogado “a decisão foi justa e guarda conexão com os esforços das autoridades públicas para preservar vidas e evitar o aumento do contágio”, afirmou o criminalista James Walker Júnior que representa Gonçalves.

Fonte: G1 Paraná – Norte e Noroeste