Desafio artístico aprofunda reflexões de campanha que aborda prevenção ao suicídio | Giro de Notícia

Desafio artístico aprofunda reflexões de campanha que aborda prevenção ao suicídio

banner principal

Com mais de 21 mil seguidores nas redes sociais, o ilustrador Jho Oliveira sempre procurou incorporar teor reflexivo à sua produção, através de temas relevantes para o debate social. É o caso da campanha Setembro Amarelo, que aborda a prevenção ao suicídio.

Um desafio artístico motiva as pessoas a retratarem com desenhos um tema por dia, uma maneira de apoiar e aprofundar a discussão sobre um assunto denso, mas que pela crescente incidência não pode ser simplesmente ignorado. 

“Busco desenvolver intensamente um trabalho de empoderamento das pessoas e a campanha é muita oportuna. Então optamos por essa proposta, que é uma terapia artística, pois envolve os benefícios do desenho da arteterapia e da terapia das cores. É muito importante que as pessoas valorizem a si mesmas. No desafio, participantes criam as artes do seu jeito, mesmo que não saibam desenhar. Expressam seus conceitos no papel, na parede ou mesmo no crochê. Tem sido muito interessante”, avalia. 

O resultado, compartilhado em um grupo de WhatsApp, é muito rico e pode ser conferido por qualquer interessado, pois é disponibilizado nas redes do artista após compilados.

Ao término, a produção poderá subsidiar ações complementares, para potencializar o efeito. Dada a pandemia do novo coronavírus, uma mostra virtual é vista pelo artista como uma boa opção. 

Os cumpridores do desafio são orientados a não copiar. Jho sugere que fotos do Pinterest ou Instagram, por exemplo, sejam usadas apenas como fonte de inspiração.

Conheça a produção do desafio artístico visitando o Instagram de jhotromundo (clique AQUI)

Arteterapia

Pintura, desenho, dança e outras formas de arte, além de entretenimento e beleza, são importantes ferramentas no auxílio ao tratamento e terapia de pessoas que precisam alcançar ou reencontrar o equilíbrio biopsicossocial.

A arte, por utilizar uma linguagem universal, amplia os horizontes e a consciência em situações de vulnerabilidade, como nos casos de portadores de sofrimento mental, câncer,  dependentes químicos e vítimas dos mais diversos tipos de violência.

Associada à terapia, ela abre perspectivas, estimula o crescimento interior e a consciência. Nas últimas décadas o recurso vem sendo cada vez mais utilizado no trabalho de profissionais das áreas de saúde e educação.

Fonte: OBemdito

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS