Esquema de importação ilegal e venda de produtos pela internet é investigado pela PF no Paraná | Giro de Notícia

Esquema de importação ilegal e venda de produtos pela internet é investigado pela PF no Paraná

banner principal

A Polícia Federal (PF) de Guaíra, no oeste do Paraná, deflagrou nesta quarta-feira (27) uma operação que investiga um esquema de importação ilegal de produtos do Paraguai vendidos pela internet.

De acordo com a PF, a “Operação Champagne” busca combater o comércio ilegal de bebidas, eletrônicos, agrotóxicos e cigarros. Na manhã desta quarta-feira, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Umuarama, no noroeste, em Terra Roxa e Guaíra, ambas no oeste.

A Polícia Federal estima que nos últimos quatro anos o grupo tenha movimentado, no mínimo, R$ 700 mil em mercadorias importadas ilegalmente.

Conforme a investigação, os produtos eram vendidos em site de anúncios, com entregas em todo o Brasil, principalmente, no estado de São Paulo. Durante o período de apuração sobre o esquema, ocorreram apreensões de mercadorias em sete estados do país.

Investigação

O grupo investigado tinha a sede das vendas em Umuarama, segundo a polícia. Eles vendiam, principalmente, bebidas alcoólicas, como champagnes e vinhos franceses.

Em Terra Roxa, conforme a PF, eram realizadas a comercialização de agrotóxicos importados ilegalmente, cigarros e armas de fogo.

A Polícia Federal informou ainda que foram identificadas duas empresas de fachada, que eram utilizadas pelos suspeitos para a emissão de notas fiscais falsas.

Os suspeitos

De acordo com a investigação, um dos suspeitos de envolvimento no esquema é de Umuarama e tem 39 anos. Ele seria o responsável pela logística da mercadoria, entre o Paraguai e cidades da fronteira, como Guaíra e Foz do Iguaçu, no oeste, e Mundo Novo (MS),

Esse suspeito foi preso em abril de 2020, segundo a polícia, com uma carga de eletrônicos sem nota fiscal, em Guaíra.

Outro suspeito, conforme a PF, é de Terra Roxa e tem 33 anos. A polícia investiga ainda outros envolvidos no caso.

Os suspeitos investigados podem responder pelos crimes de contrabando, descaminho, comercialização ilegal de agrotóxicos e associação criminosa.

A polícia não informou o número de mandados de busca que foram cumpridos na operação e o que foi apreendido.

Os objetos apreendidos foram encaminhados para Delegacia da Polícia Federal de Guaíra.

Fonte: G1 Paraná – Norte e Noroeste

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS