Filho de professora morta a facadas diz que mãe tentou mudar marido

O filho da professora que foi morta a facadas em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, afirmou que a vítima tentou mudar o marido — suspeito do crime — para melhorar o casamento. Luciane Ávila será sepultada na tarde desta quinta-feira (5).

O crime aconteceu na tarde de quarta-feira (4). A professora chegava para trabalhar em uma escola junto com o filho quando foi morta. Horas depois, o marido dela, Marcelo Ávila, foi preso em Carambeí pela Policia Militar (PM).

Lucas Cedric Ávila, 25 anos, afirmou que alguns incidentes já haviam acontecido entre o pai e a mãe dele.

“A minha mãe sempre para tentar proteger a mim e a meus irmãos acabava cedendo, acabava tentando recomeçar. Sempre tentativas dela de fazer com qeue ele fosse melhor”, disse.

Luciane e Marcelo Ávila estavam em processo de divórcio. A professora saiu de casa com os filhos em outubro. Lucas, o filho mais velho, diz que só consegue imaginar a mãe sorrindo e feliz com os alunos dela.

Investigação

Luciane Ávila havia pedido uma medida protetiva contra o marido na terça-feira (3), segundo a Polícia Civil. Um boletim de ocorrência também já havia sido registrado contra o suspeito por perturbação de tranquilidade.

A delegada da mulher de Ponta Grossa, Cláudia Krüger, disse que Marcelo fazia chantagem emocional para a professora e os filhos.

“Ele dizia que ia se matar, mandava mensagem para os filhos neste sentido. Segundo consta, a família dele já tinha intenção de interná-lo para um tratamento psiquiátrico”, afirmou.

Segundo a Polícia Civil, o homem foi autuado em flagrante por homicídio qualificado, sendo as qualificadoras feminicídio, motivo fútil e por impossibilitar a defesa da vítima.

Ele também deve responder por tentativa de homicídio, por ter agredido um homem que tentou defender a professora.

O crime

A professora tinha 42 anos e trabalhava com educação infantil em uma escola de Ponta Grossa. Ela foi agredida com golpes de faca no tórax, abdômen e na perna.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e tentou reanimar a vítima durante 30 minutos, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu.

Depois do crime, policiais civis e militares iniciaram buscas pelo suspeito. Uma câmera de segurança registrou o momento em que ele corre e descarta uma faca.

Marcelo Ávila foi encontrado horas depois na PR-151, em Carambeí, também nos Campos Gerais. A prisão foi feita pela PM. O suspeito foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Ponta Grossa.

Ao chegar na delegacia, o suspeito deu entrevista à RPC, afirmando que amava Luciane.

Fonte: G1 Paraná – Norte e Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *