Júri: Réu é condenado a 5 anos e 3 meses por lesão corporal seguida de morte | Giro de Notícia

Júri: Réu é condenado a 5 anos e 3 meses por lesão corporal seguida de morte

banner principal

O réu Edmílson Morais Júnior foi a júri popular na última sexta-feira (3). Ele era acusado pelo Ministério Público (MP) de matar Cristian Granado Gimenes a golpes de faca no dia 27 de março de 2020, no Jardim Itália. Ele acabou condenado a 5 anos e 3 meses em regime fechado pelo crime de lesão corporal seguida de morte.

A sessão de julgamento começou ainda pela manhã no Tribunal do Júri da Comarca de Umuarama.

O Ministério Público (MP) sustentava a acusação de crime cometido por motivo fútil. O advogado de defesa sustentou que o cliente agiu em sua legítima defesa. Ao final da sessão, o crime foi desqualificado.

De acordo com o advogado de defesa, Telmo Ferreira Neto, o MP pediu para que o júri condenasse Edmílson Morais Júnior por homicídio qualificado por motivo fútil (que renderia uma pena entre 12 e 30 anos).

A defesa, por outro lado, pediu absolvição por legítima defesa ou desqualificação do crime para lesão corporal seguida de morte (quando o réu não tem intenção de matar a vítima). Conforme Telmo Ferreira Neto, os jurados acataram o pedido da defesa para crime de lesão corporal seguida de morte e, desta forma, afastaram a intenção de matar do réu. “Não foi comprovado também que o crime teria sido cometido por dívida por drogas”, informou.

O advogado acrescentou que, com a desqualificação, a sentença coube diretamente ao juiz, que fixou a pena em 5 anos e 3 meses. A defesa, no entanto, informou que irá recorrer para tentar baixar a sentença para 4 anos. “Se isso acontecer, nos próximos dias o réu poderá ser colocado em liberdade”, informou Telmo Ferreira Neto.

Fonte: OBemdito

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS