Moradora do Guarani encontra escorpião e faz alerta: “Mantenham o quintal limpo” | Giro de Notícia

Moradora do Guarani encontra escorpião e faz alerta: “Mantenham o quintal limpo”

banner principal

Valéria Silva, moradora da rua Joana d’Arc, no bairro Guarani, de Umuarama, procurou a redação do OBemdito após levar um grande susto na última terça-feira (5): Na garagem da sua residência, próximo à porta de entrada, ela encontrou um escorpião amarelo – espécie considerada a mais venenosa da América do Sul.

A mulher, que mora com outras três pessoas na residência, incluindo uma criança de três anos, disse que sua reação imediata ao avistar o animal foi matá-lo. Logo após, sua enteada entrou em contato com a Vigilância Sanitária, que afirmou que irá buscar o animal mesmo morto, porém até o fechamento desta matéria ele ainda não havia sido recolhido.

Segundo relato da moradora, esta é a primeira vez que ela encontra o aracnídeo na residência, pois sempre se preocupa em manter o quintal organizado. “Meu quintal é limpinho e não tem nada de entulho”, ela afirma. Porém ela se preocupa pois vizinhos relataram já terem encontrado o animal em ocasiões anteriores.

“Fui falar com o meu vizinho e ele já achou na casa dele também”, disse. “E a vizinha do outro lado também achou na casa dela”. O alerta de Valéria é para que as pessoas contribuam para evitando amontoamento de entulho e lixo para evitar a proliferação da praga.

Quando picado pelo animal, os sintomas quase imediatos são náuseas e palpitações no coração. Ao se espalhar pelo corpo, a vítima pode sentir hiperestesia – efeito que causa extrema sensibilidade no corpo da pessoa ao toque.

Em casos mais graves, a pessoa picada pode também sentir fortes dores no estômago, vômito e dificuldade em respirar. A picada do escorpião amarelo brasileiro pode ser ainda mais perigosa para idosos e crianças, pois pode resultar na insuficiência cardíaca e morte.

Já houveram ocorrências anteriores em Umuarama de moradores que se depararam com o animal. Em agosto de 2021, uma moradora do bairro Ouro Preto encontrou o aracnídeo nos fundos da sua residência. Na ocasião, a Vigilância Sanitária compareceu e efetuou a coleta do animal.

Em março deste ano (2022), um morador do bairro Alto São Francisco se assustou quando viu o animal que já estava no interior da residência, no quarto de sua mãe. Nesta ocasião o animal só foi percebido devido aos latidos insistentes do cão da família, alertando sobre o perigo presente.

Pouco depois, em abril, uma moradora do Guarani I afirmou que estava lavando a calçada quando o aracnídeo a surpreendeu ficando em posição de ataque e tentando picar seu pé. Ela conseguiu recolher o animal em um pote de vidro e entregá-lo aos cuidados da Vigilância Sanitária.

Também em fevereiro deste ano, a Vigilância Sanitária de Mariluz surpreendeu a população ao informar que 224 animais da espécie foram recolhidos no município, que estavam escondidos em madeiras e materiais amontoados em residências. Em um dos casos uma pessoa foi picada por um animal, porém não houve agravamento da situação

De acordo com a vigilância ambiental a orientação é para que a população entre em contato por meio do telefone (44) 3639-1930 para que especialistas possam identificar qual a espécie.

Em caso de picada, a pessoa deve procurar ajuda médica imediatamente, indo à Unidade Básica de Saúde mais próxima, ou Pronto-Atendimento e hospitais.

Fonte: OBemdito

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS