Novo delegado da Polícia Civil de Cianorte utiliza a tribuna livre da Câmara

Na sessão ordinária desta segunda-feira (18) – conforme requerimento 033/2019, de autoria do vereador José Aparecido da Silva (Zezão) – utilizou a tribuna livre o novo delegado-chefe da 21ª Subdivisão Policial (SDP) de Cianorte, Jonas Eduardo Peixoto do Amaral, a fim de apresentar seu plano de trabalho para Cianorte e região. Jonas do Amaral começou sua carreira como delegado em 2004. Antes de vir a Cianorte em fevereiro, estava lotado, desde 2015, como delegado-chefe da 3º Subdivisão Policial de São Mateus do Sul.

De acordo com o delegado – que já passou pelas delegacias de Cornélio Procópio, Coronel Vivida, Pinhão, Telêmaco Borba e União da Vitoria – os três principais desafios em Cianorte e região serão: reduzir a criminalidade, acabar com o tráfico de drogas e a instalação da Delegacia Cidadã na cidade, comentou, na oportunidade, sobre a estrutura da delegacia. “Atualmente, a 21ª SDP atende aproximadamente 110 mil pessoas e conta com dois delegados de polícia –  sendo que o delegado-adjunto acumula também a cidade de Barbosa Ferraz – 13 investigadores e 5 escrivães. Mesmo com quadro limitado, será um grande desafio para adequar e suprir essas limitações e o principal objetivo é dar um atendimento digno ao cidadão”, afirma o delegado, que salienta que é necessário a ampliação do quadro funcional e a construção do Centro de Socioeducação (Cense) para os jovens na cidade.

Após a apresentação dos objetivos, o delegado Jonas apresentou a todos o diagnóstico inicial da cidade. “Cianorte tem incidência considerável de crimes contra o patrimônio – crimes de furtos e roubos – sendo que prevalece o de veículos e de residências – o que preocupa, pois verificamos que elas se organizam e vêm migrando de cidades vizinhas, principalmente Maringá. A demanda de crimes contra a vida, principalmente homicídios, pelo porte da cidade está dentro dos limites aceitáveis em comparação com cidades de mesmo porte. Isso ocorre pela resolução dos casos, por exemplo, no ano passado dos 11 casos de homicídios, 75% foram solucionados”, explica o delegado, que 35% dos inquéritos abertos estão relacionados a crimes domésticos contra a mulher.

Telefones de Utilidade Pública

Segundo o delegado, é fundamental a integração dos órgãos de segurança com o cidadão e vice-versa. Assim, ele ressalta que – de forma anônima – o cidadão pode denunciar atitudes ilícitas pelos telefones: 190 (Polícia Militar), 181 (Disque Denúncia), 100 (diversas violações dos direitos humanos) ou de forma presencial na unidade da Polícia Civil (Rua Monte Verde, 91 – Zona 7), a fim de contribuir com o trabalho da polícia.

Galeria de Fotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *