Padrasto é preso por estupro de vulnerável em Jandaia | Giro de Notícia

Padrasto é preso por estupro de vulnerável em Jandaia

banner principal

Um homem, de 29 anos, foi preso neste sábado (12), pela Polícia Militar por estupro de vulnerável e encaminhado à Delegacia da Polícia Civil, de Jandaia. 

A equipe da PM aguardou a chegada do solicitante, o qual se apresentou acompanhado da filha, a vítima de 12 anos, que relatou que a adolescente havia sido abusada pelo padrasto e que possuía cópias de conversas por aplicativo de celular entre os dois que confirmavam atos do autor que chegou a tocar o corpo da menor, sem o consentimento da mesma, alem de uma cópia de um texto enviado pela menor à outra pessoa, uma prima de primeiro grau, maior de 18 anos. 

Após a equipe ter acesso aos “prints” das conversas apresentados pelo pai da menor em seu próprio celular, a PM se deslocou até a residência da mãe, onde supostamente o autor estaria. Porém, ao chegar no local, a casa estava vazia, sendo entrado em contato com a mãe da menor, esta revelou que estariam em Mandaguari, em uma chácara pertencente a mãe do autor, onde a equipe deslocou juntamente dos envolvidos (pai, filha e testemunha) até a referida chácara. 

De acordo com o boletim, a PM deu voz de prisão ao autor, observando que neste momento foi esclarecido  que ele estava sendo preso em flagrante por atos delituosos cometidos nesta data. Questionado se gostaria de saber detalhes da acusação (tipo penal), o homem acenou com um gesto com a cabeça, que “não”, demonstrando constrangimento e aparentando já estar ciente. 

Conforme a polícia, a fim de poupar a mãe do acusado que estava presente e começou a se sentir mal, este foi encaminhado para a delegacia. 

Ainda de acordo com a PM, durante o desenrolar dos fatos, o pai da menina relatou à equipe policial que ficou sabendo que a menor já havia sido abusada por outro padrasto com quem a mãe fora casada por cerca de quatro anos, um homem, de 41 anos, morador de Maringá, que a menor havia revelado a situação anteriormente para a mãe, mas o pai não acredita que tais fatos tenham sido levados ao conhecimento da polícia ou do poder judiciário. 

Agora, de acordo com relatório, diante dessas novas informações, a mãe da menor que também se encontrava na chácara junto do autor, foi convidada a acompanhar os procedimentos junto à delegacia de Polícia Civil, de Jandaia do Sul, e também prestar esclarecimentos a respeito do que fora relatado sobre sua conduta, onde na sede da segunda companhia PM de Jandaia do Sul, durante a confecção de documentação. 

A mãe disse a polícia que teve conhecimento de que a menor havia sido molestada, que ficou sabendo do ocorrido através da própria menor há cerca de vinte dias, e neste período a mãe tentou conversar com uma conselheira tutelar, mas na ocasião não conseguiu. 

Fonte: TNOnline

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS