PF prende suspeitos de integrar máfia italiana.

Dois homens suspeitos de integrar a máfia italiana foram presos pela Polícia Federal na manhã desta segunda-feira (8), em Praia Grande, no litoral paulista.

De acordo com a Polícia Federal, os presos são dois cidadãos italianos que integram um braço na América do Sul do grupo conhecido como Ndrangheta. O G1 apurou que um dos presos é Nicola Assisi.

A operação, comandada pela PF do Paraná, foi batizada de Barão Invisível.

Segundo a polícia, o grupo mafioso é da região da Calábria, no sul da Itália, e controla cerca de 40% dos envios globais de cocaína.

De acordo com a PF, os dois foram presos em uma cobertura. No apartamento, foram encontrados armas e dinheiro em espécie. A polícia encontrou também veículos em posse dos presos.

Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da Representação da Polícia Federal junto à Interpol, em cooperação com a Polícia Italiana.

O G1 tenta contato com a defesa de Nicola Assisi.

Presos
De acordo com a Polícia Federal, Assisi é condenado por tráfico e associação para tráfico de drogas na Itália, com pena de 14 anos de prisão.

O outro preso é filho de Nicola, segundo a PF, e ocupava três apartamentos na cobertura de um prédio de alto padrão no litoral paulista.

Dois homens suspeitos de integrar a máfia italiana foram presos pela Polícia Federal na manhã desta segunda-feira (8), em Praia Grande, no litoral paulista.

De acordo com a Polícia Federal, os presos são dois cidadãos italianos que integram um braço na América do Sul do grupo conhecido como Ndrangheta. O G1 apurou que um dos presos é Nicola Assisi.

A operação, comandada pela PF do Paraná, foi batizada de Barão Invisível.

Segundo a polícia, o grupo mafioso é da região da Calábria, no sul da Itália, e controla cerca de 40% dos envios globais de cocaína.

De acordo com a PF, os dois foram presos em uma cobertura. No apartamento, foram encontrados armas e dinheiro em espécie. A polícia encontrou também veículos em posse dos presos.

Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da Representação da Polícia Federal junto à Interpol, em cooperação com a Polícia Italiana.

O G1 tenta contato com a defesa de Nicola Assisi.

Presos
De acordo com a Polícia Federal, Assisi é condenado por tráfico e associação para tráfico de drogas na Itália, com pena de 14 anos de prisão.

O outro preso é filho de Nicola, segundo a PF, e ocupava três apartamentos na cobertura de um prédio de alto padrão no litoral paulista.
G1 Paraná.PRAI GRANDE

SAO PAULO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *