Polícia Civil investiga quadrilha acusada de golpes em comerciantes de pneus

nvestigações do Grupo de Diligências Especiais (GDE) da Polícia Civil de Umuarama levaram a identificação de pelo menos um integrante de uma quadrilha acusada de praticar crime de estelionato na cidade. Conforme apurado pela equipe, o grupo estaria aplicando golpes em empresas revendedoras de pneus para caminhões, utilizando cheques frios.

O delegado-chefe da 7ª Subdivisão Policial, Osnildo Carneiro Lemes, contou que vítimas procuraram a delegacia para relatar que um homem, se passando por caminhoneiro, adquiriu pneus em suas empresas e repassou cheques que seriam de terceiros. Quando os comerciantes tentavam resgatar o dinheiro, descobriam que se tratavam de cheques extraviados, furtados ou em nome de uma empresa fantasma.

Até o momento foi expedido um mandado de prisão para Silvio Aparecido Campos, 41 anos, morador em Umuarama. Segundo o delegado, ele já foi preso anteriormente por estelionato e é considerado procurado pela justiça.

“Este indivíduo se fazia passar por caminhoneiro e chegava na empresa dizendo que estava com o caminhão na estrada com os pneus estourados. Ele convencia o comerciante a vender, passava um cheque que dizia ser de uma transportadora e marcava para alguém passar pegar os pneus. Só depois o comerciante descobria o golpe”, informou Osnildo.

A partir do momento que as vítimas começaram a procurar a Delegacia, o GDE iniciou as investigações. “Uma das vítimas deu o nome de uma pessoa que tinha ligação com o autor. As investigações levaram a polícia a identificar um dos acusados. Ele foi reconhecido por pelo menos quatro vítimas. Estabelecendo conexões conseguimos identificar um segundo suspeito de envolvimento, que ainda não foi reconhecido pelas vítimas”, disse.

Um mandado de prisão foi expedido em desfavor de Silvio Aparecido Campos

Localização dos pneus

Na manhã desta sexta-feira (25) o GDE esteve em uma residência no centro de Umuarama onde foram localizados 11 pneus de caminhão. No imóvel reside um empresário, que não estava no momento da ação na cidade.

Dos 11 pneus, 8 podem ter sido adquiridos pela quadrilha e foram encaminhados para a Delegacia. Osnildo disse que ao longo do dia duas vítimas já reconheceram pneus que foram adquiridos em seus estabelecimentos pelo acusado do golpe.

A esposa do empresário compareceu à Delegacia e conversou com os policiais. O delegado explica que ela confirmou que o esposo comprou estes pneus e agora a polícia irá investigar se ele atuou como receptador ou não, ou seja, se tem envolvimento com a quadrilha.

O nome do empresário não será divulgado, pois ainda não há informações de que ele realmente seja um integrante do esquema.

Investigações seguem

O delegado-chefe comentou que as investigações ainda estão no início, mas no caminho certo. Há possibilidade de que haja uma grande rede de pessoas envolvidas no crime e prisões podem acontecer a qualquer momento.

Outro fato ainda a ser elucidado com mais detalhes é a questão dos cheques. Osnildo acredita que uma conta tenha sido aberta em um banco com a finalidade específica de uso para o estelionato. “O titular, já sabendo que a conta seria usada para esta finalidade, pode ter participação no esquema, apesar de afirmar que os cheques foram extraviados. O que está sendo investigado. Outros cheques são de terceiros, que foram extraviados e furtados”, acrescenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top