PRF apreende 26,6 t de drogas no 1º semestre de 2018 e registra aumento de 52% em relação a 2017

Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 26,6 toneladas de drogas no primeiro semestre deste ano no Paraná. O resultado, divulgado às 9h30 desta quarta-feira (4), é 52% maior em relação ao mesmo período de 2017, quando 17,5 toneladas foram apreendidas.

Ainda de acordo com a PRF, as apreensões de cocaína e crack mais que quadruplicaram. O total apreendido de cocaína aumentou de 624 quilos para 3.024 quilos; e o crack, de 64,8 quilos para 294,5 quilos.

Já o total de maconha passou de 16,8 toneladas para 23,3 toneladas – uma alta de 38,7%. A maior apreensão foi registrada pela PRF ocorreu Alto Paraíso, na região noroeste do Paraná, em janeiro, quando 7,2 toneladas de maconha foram apreendidas.

Outras apreensões

De janeiro a junho deste ano, a PRF apreendeu cerca de 8,3 milhões de carteiras de cigarro no Paraná. A quantidade é semelhante ao do primeiro semestre de 2017.

A PRF apreendeu ainda 84 armas e 8.574 cápsulas de munição ao longo dos primeiros seis meses de 2018.

Ao longo de todo o ano passado, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu 53,1 toneladas de drogas, 21,6 milhões de carteiras de cigarro, 277 armas de fogo e mais de 42 mil munições no Paraná.

O número de medicamentos apreendidos, porém, diminuiu de um ano para outro – de 54.855 unidades caiu para 39.921 unidades, assim como o número de pessoas presas por tráfico de drogas, de 166 para 146.

Veja abaixo o balanço completo divulgado pela PRF:

1º semestre de 2018

  • 23,3 toneladas de maconha;
  • 3.024 quilos de cocaína;
  • 294,5 quilos de crack;
  • 8,3 milhões de carteiras de cigarro;
  • 84 armas;
  • 9.012 munições;
  • 39.921 unidades de medicamentos;
  • 146 pessoas presas por tráfico de drogas.

1º semestre de 2017

  • 16,8 toneladas de maconha;
  • 624 quilos de cocaína
  • 64,8 quilos de crack;
  • 8,3 milhões de carteiras de cigarro;
  • 132 armas;
  • 8.574 munições;
  • 54.855 unidades de medicamentos;
  • 166 pessoas presas por tráfico de drogas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *