Servidores estaduais desocupam Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba

Servidores públicos estaduais que ocupavam a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) deixaram o local na tarde desta quarta-feira (4).

Os servidores invadiram o prédio e ocuparam as galerias na tarde de terça-feira (3), onde passaram a noite em protesto contra a proposta de alteração nas regras da previdência do funcionalismo público estadual.

Os deputados estaduais votam nesta quarta-feira o primeiro turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) apresentados pelo Governo do Paraná.

Por causa da ocupação dos servidores, a sessão plenária foi transferida para a Ópera de Arame. O presidente da Alep, Ademar Traiano (PSDB), justificou a mudança de local por causa do “momento crítico”.

Tumulto

Na noite desta terça-feira, a Justiça atendeu um pedido de Ademar Traiano e determinou a reintegração de posse da Alep para que os manifestantes deixassem as galerias. No pedido, estava prevista multa de R$ 2 mil, por dia, caso os servidores não saíssem dali.

Mais cedo, houve tumulto no momento em que os servidores entraram na Assembleia. O presidente da Alep limitou o número de servidores que poderiam acompanhar a sessão das galerias a 250 pessoas.

Assim que todas as vagas foram ocupadas, os policiais tentaram impedir a entrada dos demais servidores, que reagiram ao bloqueio. Pelo menos uma cerca foi arrancada e uma porta de vidro foi quebrada.

De acordo com o Fórum das Entidades Sindicais (FES), a Polícia Militar usou spray de pimenta e cassetetes para conter a entrada dos servidores. Cinco pessoas ficaram feridas, segundo o sindicato.

A PM informou que quatro pessoas foram detidas e liberadas. Traiano encerrou a sessão antes do previsto por causa do tumulto.

Alteração na previdência

O projeto, que foi apresentado pelo Governo do Estado, prevê o aumento da alíquota na contribuição dos servidores, de 11% para 14%, além do estabelecimento de idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres se aposentarem.

O governo estadual enviou em novembro um pacote para alteração na previdência dos servidores. A proposta passou a tramitar na Assembleia após os deputados federais retirarem os servidores dos estados da reforma da Previdência nacional.

De acordo com o líder do governo na Alep, Hussein Bakri (PSD), a proposta é uma réplica do texto da PEC aprovada no Congresso Nacional para os servidores federais.

Segundo o governo, 125 mil servidores aposentados recebem R$ 782 milhões por mês, e este valor é pago pelos servidores em atividade, que contribuem com R$ 227 milhões.

A diferença de R$ 6,4 bilhões ao ano, de acordo com o governo, é bancada pelo caixa estadual.

Segundo o governo, o déficit anual é maior que o orçamento estadual para as áreas de saúde e segurança.

Fonte: G1 Paraná – Norte e Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *