Tecnologia aproxima familiares e pacientes internados com Covid-19 | Giro de Notícia

Tecnologia aproxima familiares e pacientes internados com Covid-19

banner principal

Além da batalha contra a Covid-19, pacientes acometidos convivem com a ausência dos entes queridos, drama atenuado pela tecnologia. Durante a pandemia de coronavírus, o Hospital Cemil optou pela realização de videochamadas. 

O hospital é referência no tratamento da doença e também disponibiliza acompanhamento psicológico, dando suporte emocional em um momento tão difícil. A assistente social Fabricia Ruzzon Marchi de Oliveira coordena o processo e destaca a atuação de um grupo numeroso de profissionais.

“Entramos em contato com a família assim que o paciente é internado. O médico responsável pelo acompanhamento atualiza os familiares através de uma videochamada diária. O paciente que está lúcido conversa com seus entes. No caso do paciente entubado, é indagado se os parentes desejam vê-lo. Também participo da chamada. É uma forma de a família matar a saudade”, ressalta.

Participam os pneumologistas Ronaldo de Souza, Alana Anne Kaneda Garcia e Renato Ricci Kauffmann, além do nefrologista Luis Fernando Nery dos Passos, do médico intensivista Isael Sebastião do Nascimento Volpato e do clínico geral Fabiano Augusto Pasotti Cavalhieri.

Alento

“Minha avaliação é 100% positiva. Com uma pessoa tão importante de nossa família ali, sozinha e longe de nós. Um momento difícil que os familiares passam. As chamadas vieram como um alívio, um conforto. São minutos em que podemos dizer o quanto amamos e mandar forças para o paciente. Nos sentimos abraçados pelos médicos ao saber que ocorreu uma melhora. Passam palavras de força, olhando em nossos olhos. É, com certeza, muito importante”, avalia a cabeleireira Keuciane Viana Saugo, 23.

Sua mãe, de 53 anos, deixou a UTI após um mês e segue em recuperação na enfermaria.

“São dias difíceis, mas também de muita alegria, por saber que estão ali dando a vida para que o paciente se recupere e, além de tudo, disponibilizando tempo para levar conforto para os familiares”, ressalta.

“A utilização de recursos tecnológicos ameniza muito nosso sofrimento. Trazia conforto quando via o meu pai e conversava com o médico e a assistente social. Eles me ajudaram muito neste momento difícil. Todos foram muito simpáticos e compreensivos”, pondera Rafael Olivoto, filho de um paciente que recebeu alta após vários dias na UTI.

“Na minha opinião, esse recurso deve continuar sendo utilizado. Ameniza muito o sofrimento e a dor. A equipe do hospital é incrível. Sou profundamente grato”, complementa.

Estrutura

Em julho, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Cemil ganhou dez novos leitos utilizados com exclusividade para tratamento dos casos mais graves de Covid-19 – posteriormente farão parte da estrutura regular do hospital. 

O município passou a contar com 20 leitos de UTI e 30 de enfermaria para adultos, somando os espaços disponíveis também no Hospital Uopeccan.

A macrorregião Noroeste tem 132 leitos de UTI e 264 de enfermaria para atender 115 municípios.

Fonte: OBemdito

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS