Vacinação contra a Covid-19 no Brasil deve começar em março | Giro de Notícia

Vacinação contra a Covid-19 no Brasil deve começar em março

banner principal

A vacinação contra a Covid-19 no Brasil deve começar em março do ano que vem e vai priorizar profissionais de saúde, idosos e indígenas. A informação faz parte do plano preliminar de vacinação, divulgado nesta terça-feira pelo Ministério da Saúde.

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, disse que o plano completo só ficará pronto após o registro de alguma vacina na Avisa. Conforme Medeiros, as vacinas da Pfizer e da Moderna não estão nos planos.

A da Pfizer precisa ser armazenada a -70º C, o que implica um problema logístico no Brasil. A segunda citada aguenta pouco tempo em temperaturas de até -8º C, mas precisa ser transportada a -20º C. O Reino Unido aprovou a vacina da Pfizer e deve começar a imunização da população na semana que vem.

No Brasil, de acordo com o ministério, a vacinação não será obrigatória. Entretanto, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, liberou para julgamento duas ações sobre o tema, com premissas opostas. Uma, do PDT, quer que o Supremo reconheça a competência prevista em lei de prefeitos e governadores para decidir sobre a obrigatoriedade. A segunda, do PTB, pede que esse trecho da lei seja suspenso. O julgamento deve acontecer no dia 11.

Outro ponto que vem sendo desmentido é de que a covid atinge apenas idosos. A média de idade entre os internados nos hospitais privados paulistas com a doença vem caindo nesta segunda onda, ficando agora entre 40 e 44 anos. Conforme especialistas, os jovens estão tentando retomar atividades e, com isso, se expondo mais ao vírus, enquanto idosos mantêm, por medo, o isolamento social. (Folha)

Na terça-feira  (1º), o Brasil registrou 697 mortes por Covid-19, elevando o total de óbitos a 173.162. Houve 52.248 novos casos. A tendência, porém, voltou a ser de estabilidade. Mas há um dado alarmante. Segundo o IBGE, 9,7 milhões de brasileiros não obedeceram a nenhuma regra de combate à pandemia em outubro, quando o número de casos e mortes voltou a subir. Isso representa 4,6% da população.

As informações são do AC24 horas. 

Fonte: TNOnline

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS