Vacinação contra Covid-19 no Paraná: veja perguntas e respostas | Giro de Notícia

Vacinação contra Covid-19 no Paraná: veja perguntas e respostas

banner principal

Paraná recebeu 265 mil doses da CoronaVac na segunda-feira (19) — Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS

A vacinação contra a Covid-19 começou na segunda-feira (18) no Paraná, em uma cerimônia simbólica no Hospital do Trabalhador, em Curitiba.

O estado recebeu, na primeira remessa de vacinas enviada pelo Ministério da Saúde, 265 mil doses.

Como cada pessoa deve receber duas doses, e há a previsão de 5% de perda técnica das doses, a previsão é que, neste primeiro momento, 126.204 pessoas de grupos prioritários do Paraná sejam vacinados.

O número representa cerca de 1% da população do estado, de 11,5 milhões de habitantes.

Veja abaixo perguntas e respostas sobre a vacinação

Vacinação começou na segunda-feira (19), em evento simbólico do governo estadual no Hospital do Trabalhador — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Quem será vacinado na primeira etapa no Paraná?

A primeira remessa recebida nesta segunda-feira (18) vai imunizar, segundo o Ministério da Saúde, 126 mil pessoas no Paraná. Veja a quantidade de doses para cada cidade do Paraná.

A previsão é que os primeiros vacinados sejam:

    102.960 profissionais de saúde da linha de frente do combate à Covid-19, 12.224 idosos em lares de longa permanência,10.816 indígenas,204 pessoas com deficiência em instituições inclusivas.

Quantas doses cada cidade vai receber?

O total de doses será dividido pelo número de habitantes de cada cidade e distribuição dos grupos prioritários, conforme as demais remessas chegarem ao estado. Nesta primeira etapa, 132 mil doses foram distribuídas nesta terça-feira (19) para as 22 Regionais de Saúde da Sesa

Veja como foi a distribuição:

Distribuição de doses por Regional de Saúde

As outras 132 mil doses serão distribuídas no momento da aplicação da segunda dose da vacina, no início de fevereiro. Até lá, metade das doses ficarão armazenadas do Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba.

    Veja a quantidade de doses para cada cidade do Paraná

Como estão divididas as outras fases da vacinação?

Estas pessoas fazem parte do grupo vacinado na primeira fase da campanha de imunização. O objetivo da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) é que as três primeiras fases da campanha sejam realizadas até o fim do 1º semestre de 2021.

Primeira fase

    Trabalhadores da saúde;Idosos a partir dos 75 anos de idade;Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas;População indígena.

Segunda fase

    Pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase

    Pessoas com comorbidades, que possuem doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras.

De acordo com o governo estadual, a expectativa é que 4 milhões de pessoas dos grupos prioritários sejam vacinadas até maio. São elas:

Grupos prioritários no Paraná

De acordo com a previsão da Sesa, 8 milhões devem ser imunizadas até o final de 2021. A aplicação das demais doses vai acontecer conforme novas remessas cheguem ao estado.

Como estão divididas as fases de vacinação em Curitiba?

Em Curitiba, a Secretaria Municipal de Saúde detalhou as cinco fases de vacinação na cidade. Não há um prazo definido para a imunização de cada grupo, uma vez que a aplicação depende do recebimento das vacinas.

Primeira fase

Profissionais de saúde que trabalham ou moram em Curitiba, idosos que moram em instituições de longa permanência (asilos) e indígenas da aldeia Kakané-Porã, agentes funerários, equipes da FAS e Guarda Municipal e estudantes de cursos de saúde que fazem estágios na área.

Segunda fase

Idosos acamados, pessoas acima 80 anos, pessoas entre 79 e 75 anos, de 74 a 70, de 69 a 65 e de 64 a 60, funcionários e população privada de liberdade.

Terceira fase

Cardiopatas graves, diabéticos, hipertensos, obesos, doentes neurológicos, pessoas com deficiências permanentes severas, pessoas com neoplasias, imunossuprimidos e transplantados e população de rua.

Quarta fase

Trabalhadores essenciais, como os de limpeza pública, segurança pública, motoristas e cobradores, professores, taxistas e motoristas de aplicativos.

Quinta fase

Grupos não prioritários, como a população com menos de 60 anos, seguindo a ordem de idade, dos mais velhos para os mais jovens.

Quando será a minha vez de ser vacinado?

As cidades devem desenvolver um cronograma de vacinação.

Em Curitiba, exceto os idosos que vivem em lares de longa permanência, as demais pessoas receberão a informação sobre o agendamento da vacinação pelo aplicativo Saúde Já.

    Saiba como irá funcionar o agendamento para a vacinação contra a Covid-19 em Curitiba

A vacina tem quantas doses?

A primeira remessa contém apenas vacinas CoronaVac, o imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A vacina foi aprovada por unanimidade pela Anvisa no domingo (17).

Cada pessoa que for vacinada pela CoronaVac vai receber duas doses, com intervalo de duas ou três semanas.

Há seringas e agulhas suficientes?

Segundo o governo, o Paraná tem 11 milhões de seringas e agulhas para o começo da campanha de vacinação. Outras 16 milhões já foram adquiridas e devem chegar ao estado nos próximos dias.

Quais são os pontos de vacinação?

De acordo com a Sesa, o Paraná conta com 1.850 salas de vacinação nos 399 munícipios do estado.

Em Curitiba, a vacinação vai acontecer, inicialmente, nos lares de longa permanência e, depois, em um pavilhão que está sendo montado no Parque Barigui. O local terá 52 boxes para atender cerca de 450 pessoas por hora.

É verdade que o Ministério da Saúde está fazendo um agendamento para receber a vacina?

Não é verdade. Em nota, o Ministério da Saúde disse que não realiza agendamento para aplicação de nenhum tipo de vacina, e nem envia códigos para celular dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Não sou grupo de risco, não sei quando serei vacinado pelo SUS. Poderei comprar a vacina em uma clínica particular?

Ainda não há uma previsão de quando as clínicas particulares conseguirão comprar lotes das vacinas contra a Covid-19 que forem aprovadas no Brasil.

A orientação dos órgão de saúde nacionais e internacionais é que todas as doses produzidas pelos laboratórios neste primeiro momento sejam direcionadas aos governos, com a finalidade de garantir que as pessoas dos grupos de risco sejam imunizadas o mais breve possível.

VÍDEOS: Mais assistidos do G1 Paraná

Fonte: G1 Paraná – Norte e Noroeste

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS